Páginas

segunda-feira, 29 de março de 2010

O caso Isabela Nardoni e a justiça de Deus

Foi aguardado com grande expectativa o resultado do julgamento do casal Nardoni, acusados de terem assassinado a pequena Isabela. Pudemos ver pelos noticiários que muitas pessoas fizeram verdadeira vigília em frente ao tribunal. Este caso trouxe uma comoção e mobilização nacional, chamando a atenção de todos para o desfecho que teria. Por fim os jurados decidiram pela condenação e o juiz sentenciou a pena de 31 anos para o Alexandre e 26 anos para a Ana Jatobá.

Por não ter havido confissão de nenhum dos dois há opiniões diferentes quanto à questão se a justiça foi feita. Por mais que hajam evidências que apontem para a culpa do casal, paira uma sombra de dúvida sobre o caso. Prefiro eu, neste momento, fazer um comentário a respeito não da justiça dos homens, mas da justiça de Deus. A Bíblia chama Deus de "O Justo Juiz" (II Tm.4:8), aquele que julga com retidão, não segundo a aparência, não segundo a vontade dos homens, não com parcialidade. Ainda que a justiça dos homens falhe, Deus é perfeito em seus julgamentos. Chamo a sua atenção para dois princípios:

I - DEUS TUDO VÊ

"E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar." (Hb.4:13)

Ainda que não houve confissão, ainda que não houveram testemunhas oculares o Deus Onisciente e Onipresente tudo viu e conhece os culpados. É possível esconder algo dos homens, mas é impossível esconder os fatos de Deus. Todas as coisas, pessoas e situações estão nuas diante do Senhor a quem haveremos de prestar contas. Não há nada encoberto que não será revelado no dia do julgamento final. (Mt.10:26)

I I - O JULGAMENTO DE DEUS É MAIS SEVERO QUE O DOS HOMENS

"E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo." (Mt.10:28)

Uma pena de aproximadamente 30 anos de reclusão não é nada diante de uma eternidade de tormento no inferno. Muitos há que praticam todas sorte de crimes e pecados neste mundo e, particularmente neste país e pensam que ficarão impunes. Asafe no Salmo 73 demonstrou a sua indignação ao ver que muitos ímpios, apesar da sua impiedade, prosperavam e viviam uma vida que nem muitos justos sonhavam ter. Mas o texto chave deste salmo é o versículo 23 onde ele diz: "Até que entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles. Certamente tu os puseste em lugares escorregadios; tu os lanças em destruição."
A questão é o fim, qual será o fim. Muitos se vangloriam na sua opulência, riqueza e orgulho e não sabem o fim que lhes aguarda. Infelizes daqueles que ignoram a realidade do inferno.

Um dos filmes que mais gostei de assistir foi o Conde do Monte Cristo, por conta da célebre frase repetida pelo injustiçado protagonista: Deus me fará Justiça!!!

Que Deus tenha misericórida de nós!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz. Fique à vontade e deixe o seu comentário.

Faça um blogueiro feliz!

Comente!

Poderá gostar também de

Related Posts with Thumbnails